Do Básico ao Especial

Em minhas andanças de conversas com gestores e profissionais do SUAS pelo Brasil é recorrente a pergunta sobre como tudo começou, qual foi a motivação para a criação do GESUAS e como conseguimos fazer um sistema que contempla de fato toda a realidade do SUAS nos municípios de norte a sul do Brasil. Então, resolvemos contar um pouco da nossa história e como o GESUAS deixou de ser um sistema “básico” (com foco na proteção básica) para ser um sistema realmente “especial” (que contempla os níveis de proteção da básica à especial no SUAS).

Para falar sobre a origem do GESUAS precisamos voltar no ano de 2008, ano em que recebemos o primeiro contato/demanda para construção de um sistema que viria, 5 anos depois, a se tornar o GESUAS.

Em 2008, recebemos o contato da secretaria de assistência social de Viçosa, na zona da mata mineira, buscando uma solução que permitisse a ela melhor controle das ações do SUAS. Especificamente, a então secretária Edilene Batalha, apresentou os seguintes desafios:

  • Dificuldade no controle das frequências das ações coletivas (SCFV e Oficinas)
  • Enorme volume de prontuários físicos o que dificultava encontrar os históricos de atendimento realizados às famílias
  • Duplicidade na concessão de benefícios eventuais, visto que dada a existência de duas unidades do CRAS em Viçosa, uma família ou usuário costumava solicitar o benefício em um equipamento e logo depois solicitar no outro
  • Dificuldade de consolidar as informações relacionadas às ações realizadas

gecras

    Como era o layout do GECRAS

A partir destas demandas iniciamos um estudo de fluxos buscando o entendimento dos processos de trabalho na secretaria em Viçosa. Nascia aí o GECRAS – Sistema para gestão dos CRAS – Centro de Referência de Assistência Social.

Quando finalizamos a primeira versão em 2009, nos sugeriram participar de um encontro da URCMAS da Zona da Mata para apresentar a solução e verificar o interesse dos demais gestores presentes. Para nossa surpresa, 9 dos 18 gestores presentes manifestaram interesse no GECRAS e iniciamos as negociações para disponibilização do sistema.

Encontro da URCMAS da Zona da Mata

A partir da evidência de uma demanda por informatizar a gestão do SUAS no âmbito do CRAS, iniciamos a busca por novas entidades ou reuniões que nos permitissem acessar outros municípios. Em pesquisas na web, encontramos então o COGEMAS-MG e agendamos uma apresentação para então presidente da instituição que naquela oportunidade era também a gestora de Coronel Fabriciano – MG no Vale do Aço. Após a apresentação, foi questão de tempo para que o GECRAS estivesse agora em outra região do estado.

Com a expansão do GECRAS no estado, outras demandas também passaram a surgir. Por se tratar de um município de grande porte logo surgiu a demanda por um sistema que atendesse as necessidades e especificidades da média complexidade. Esta foi sempre uma característica das soluções apresentadas para a gestão do SUAS, entender o dia a dia e elaborar uma solução que atendesse de fato as necessidades de cada equipamento, cada serviço e cada nível de proteção da assistência dos municípios. Foi criado então o segundo software da série: o GECREAS – Sistema para gestão dos CREAS – Centro de Referência Especializado de Assistência Social.

Gecreas

Esse era o layout do GECREAS

A Evolução: O GESUAS

Desde a criação da primeira versão do GECRAS e até 2013 com as implantações do GECREAS, um dos principais desafios enfrentados pela Jungle era sobre a falta de padronização de registros, fichas de famílias, formulários de encaminhamentos e padrões de relatórios que exigiam uma solução quase que exclusiva para cada cliente. Entretanto, em 2013 o MDS lançou o Prontuário SUAS como proposta de padrão de registros de informações para as famílias acompanhadas pelos CRAS e CREAS. Isso nos permitiu criar um sistema integrado para Gestão do Sistema Único de Assistência Social que padronizasse o registro das informações entre os municípios usuários sendo assim um banco de dados único nacional de famílias atendidas nos serviços socioassistenciais. Nasceu então o GESUAS.

O GESUAS hoje auxilia gestores na gestão das informações das famílias, geração das informações para o RMA e SISC, acompanhamentos familiares em todos os serviços tipificados e geração de mapas georreferenciados para atender as demandas da vigilância socioassistencial. O GESUAS hoje está presente em todos os estados brasileiros e ajudando profissionais do SUAS a ajudar milhares de famílias Brasil afora.

Curiosidade: O nome GESUAS surgiu a partir de conversas com gestores do SUAS no Vale do Aço. Ainda fico em dúvida se a ideia partiu de mim ou dos próprios gestores.

Veja também:

 

Comentários